Atendendo a pedidos, hoje a gráfica online FuturaIM vai falar sobre fechamento de arquivo! Temos certeza que esse tema vai te auxiliar e muito na hora de enviar a sua arte para a gráfica. Quando você tira de letra esse assunto e entende que os principais pontos a se atentar no fechamento de arquivo é se o texto está convertido em curvas e se a imagem está no padrão de cor CMYK, isso já é um grande passo para receber os seus impressos com a qualidade esperada. Então, vamos lá?

 

Entenda a diferença de arquivo aberto e arquivo fechado

Para fazer uma boa introdução do assunto, vamos explicar a diferença entre arquivo aberto e arquivo fechado, que é bem interessante para você saber.

Quando nos referimos a arquivo aberto significa que os itens são soltos e editáveis. Como muitas vezes as fontes diferem de um computador para outro, logo a fonte do arquivo acaba sendo alterada.

Já quando se trata de arquivo fechado, está se referindo a versão final de uma criação que não passa por modificações, e que, portanto, é salvo em formato que garante essa versão final intacta para a impressão, como é o caso do PDF, JPG e PNG.

 

Exemplos de formatos para fechamento de arquivos

Adobe PDF (Portable Document Format)

O PDF X1a é o mais indicado de todos pela gráfica FuturaIM. Ele preserva as fontes, layout, bitmaps e gráficos e pode ser acessado por outras plataformas e aplicativos. Continue a leitura que em breve vamos explicar o passo a passo para fechar o arquivo em PDF X1a.

 

JPEG ou JPG (Joint Photographic Experts Group)

Este possui alguns níveis de compactação para Web ou impressão. Aceita mais de 16 milhões de cores e é muito utilizado para salvar fotos e imagens. Mas, não é apropriado para impressão, pois acaba alterando o DPI da imagem na hora do fechamento e perde a qualidade. Em breve falaremos mais sobre os DPIs.

E apesar de ter suporte para os padrões de cores CMYK, RGB e Grayscale, ele não é compatível com fundos transparentes.

Agora, vamos dar algumas dicas essenciais para realizar um fechamento correto do seu arquivo. Vem com a gente!

Padrão de cor CMYK

Confira se existe algum objeto em outros padrões como RGB ou PANTONE® e sempre converta todos os objetos do arquivo no padrão de cor CMYK. É muito simples saber se há algum objeto ou imagem em outro padrão de cor. É só clicar no menu Arquivo>Propriedades do documento, veja se existe bitmaps ou preenchimentos em outros padrões como na imagem abaixo:

Se existir, volte para o layout e faça a conversão do objeto em CMYK. A mudança poderá ser feita na paleta de cores padrão do CorelDRAW®. Para as imagens será necessário convertê-las em Bitmap CMYK.

Dica: Para obter um preto chapado, ou seja, um preto mais vivo, utilize a combinação C30% M0% Y0% K100%. Caso o contrário, o preto poderá sair com tons acinzentados. 

Quando utilizar o degradê de uma cor sólida para o preto, normalmente ficará uma tonalidade acinzentada no meio do degradê. Para que isso não ocorra, acrescente 100% da cor sólida no preto. Veja abaixo os exemplos:

Vale lembrar que essa diferença ocorre em qualquer software de edição preparado para o modo de cor CMYK.

Dica: Caso queira deixar outras cores do degradê mais reforçado, que não seja exatamente as cores azul, amarelo e magenta, é só fazer a adição do preto. Veja um exemplo abaixo:

Deixe a resolução com no mínimo 300DPIs.

Para quem não sabe, o DPI é uma sigla que significa Dots Per Inch, e sua tradução em português é Pontos por Polegada, conceito também conhecido pela sigla PPP. Representa o número de pontos que podem ser encontrados em uma polegada de uma determinada imagem. É comum pessoas se referirem ao DPI como resolução da imagem. Dê uma olhada no exemplo dessa imagem abaixo.

Agora, veja a diferença de uma imagem de alta resolução, ou seja, alto nível de DPI e uma de baixa resolução com poucos DPIs esticada para inserir em um layout de impressão. Esse exemplo é com uma imagem de 72dpis e o próximo é outro exemplo comparando os 300 dpis com 50 dpis, mas imagine que seria assim que ficaria ao inserir uma imagem numa folha A4. A primeira seria uma imagem em alta com 300dpis, ficaria visível na sua impressão, já a segunda seria uma imagem retirada da internet, que foi esticada para atingir um tamanho de visibilidade na folha A4.

Para verificar os DPIs no Corel é bem fácil: 

  • Clique com o botão direito do mouse em cima da imagem

  • Selecione a opção propriedade do objeto

  • Do lado direito vai aparecer quantos dpis têm a imagem:

 

 

Converta os textos em curvas

CorelDraw

Selecione todos os objetos do layout e desagrupe-os, apertando a tecla de atalho Crtl+U, ou clicando na opção. Após desagrupar todos os objetos, é necessário selecionar os textos do layout. No CorelDRAW existem 3 formas de executar essa operação. Veja abaixo:

Forma 01 - Desagrupe todos os objetos do seu layout, selecione os textos individualmente e pressione Ctrl+Q.

Caso possua textos dentro de algum Power Clip, os mesmos deverão entrar no efeito e convertê-los manualmente, pois o processo explicado acima não o localiza.

Forma 02 - Vá até o menu “Editar>Selecionar tudo>Texto” com todos os textos selecionados, converta-os em curvas pressionando as teclas Ctrl+Q.

Lembrando que todos os objetos necessitam estar desagrupados.

Forma 03 - No menu Editar clique em: